Minhas Propostas para a Agile Brazil 2010

Acabo de submeter algumas atividades para o Agile Brazil 2010, evento que se realizará em Junho em Porto Alegre. Pelo que entendi, as propostas serão avaliadas pelo comitê organizador do evento.

As propostas estão disponíveis no site e o público pode fazer comentários. Minhas submissões:

Líder Técnico - O Ex-Arquiteto virou Faz-Tudo!

Ele era o centro das atenções. Nenhuma classe era criada sem a sua aprovação. Nenhuma biblioteca era introduzida sem que ele homologasse. Nada entrava ou saía sem a sua verificação. Seus diagramas formavam o livro sagrado do sistema, se o sistema não reflete o diagrama então os desenvolvedores devem ser punidos, obviamente eles não entender seu Grande Plano para Tudo™.

E daí veio este tal de agile. Não apenas introduziu práticas de qualidade duvidosa (duas pessoas, um computador? Sério?) mas também quer eliminar seu papel de visionário. Como um time poderia funcionar sem a visão inpiradora? Como um mero desenvolvedor pode decidir o que é melhor para um projeto onde são investidos milhões?

Pior ainda, o que o líder faz agora que não existem mais diagramas para desenhar?

Arrumando a Casa Após a Festa: Saindo do Pseudo-Agile

Tudo parecia muito simples. Os cartões vão na parede, os times se auto-gerenciam, o tal do Product Owner escreve nos cartões, o time faz retrospectiva… Tantos casos de sucesso por aí, tantos sorrisos e tapinhas nas costas…

Por que está dando tão errado aqui? Por que está fazendo da minha vida um inferno? Por que meu time não está aumentou a produtividade? Por que meus produtos continuam sendo uma porcaria? Por que parece que ninguém sabe o que está acontecendo?

Este é o saco de dúvidas que tenho encontrado por aí.

A maioria vai achar que basta seguirmos os 12 passos do programa e, eventualmente, as coisas vão entrar nos eixos. A maioria acha que basta demitir os gerentes de projeto e colocar coisas coloridas na parede. A maioria acha que basta escrever testes e seu código vai ter qualidade. A maioria acha que basta quebrar casos de uso em histórias e você terá melhor comunicação.

A maioria vai falhar miseravelmente.

Nos últimos anos tenho gasto uma boa parte do meu tempo tentando fazer clientes entender que não importa a cor do cartão na parede, não importa a sua plataforma de desenvolvimento, não importa se você usa cruise ou hudson, não importa se retrospectivas são quinzenais ou mensais… a única coisa que importa nesses tais métodos ágeis é termos ciclos de feedback curto.

Nesta sessão vamos conversar sobre alguns cenários, todos baseados em projetos reais, e no que pode ser feito para tirar o pseudo do seu agile.

E, além das duas palestras, o Rodrigo Yoshima me convidou para ajudá-lo no seu workshop de modelagem:

Reconheça! Você não sabe modelar! Iniciando Projetos Ágeis

Neste workshop prático vamos simular o planejamento inicial de um projeto ágil utilizando as mais variadas técnicas de modelagem como Domain-Driven Design, CRC Cards, User Stories, Paper Prototyping e Brainstorming.

Ajude o cliente a compreender melhor o problema, melhorando seu planejamento e auxiliando as suas estimativas. Um bom modelo ou protótipo serve como uma simplificação de algo complexo, uma abstração útil para o desenvolvimento do projeto. Em projetos ágeis a modelagem está presente, porém, ao invés de uma modelagem solitária numa ferramenta UML, equipes ágeis inovam em colaboração, usando artefatos simples numa dinâmica divertida.

3 Responses to “Minhas Propostas para a Agile Brazil 2010”

  1. Leandro says:

    Propostas interessantíssimas!
    1º Lugar - Reconheça…
    2º Arrumando…
    3º Ex-Arquiteto..

  2. Renan Reis says:

    esse Reconheça! Você não sabe modelar! Iniciando Projetos Ágeis eu gostaria muito de assistir! infelizmente porto alegre está a 1300 km daqui, infelizmente nao vou poder participar, mas gostaria muito se fosse filmado ou coisa assim, mesmo sendo pago!

    abrasss

  3. André Praeiro says:

    Minha opinião é idêntica a do Leandro.
    As propostas são exelentes.